sexta-feira, 18 de junho de 2010

Impressões gerais

Fiquem com ótima impressão da Turquia. O povo é receptivo. Sempre te convidam para um çai (chá). É um país maravilhos, com história antiquíssima. O roteiro mais turístico é pela costa e capadócia. Mas para quem for ao mar morto, dizem que os turcos visitam muito esses lados. O litoral é simplesmente maravilhoso. O mar é lindo de mais. Os preços são mais baratos que os europeus. O mundo grego antigo é, em sua maioria, onde hoje é território turco - e não na Grécia. Muitas e muitas ruínas gregas. Além de muitas outras ruínas de outras civilizações. A estrutura turística do país é muito boa. E as comidas são boas também.

A Síria foi a grande surpresa do Oriente Médio. No guia Lonely Planet diz que o povo é a grande atração. Eu não entendi isso até visitar o país. As pessoas são MUITO receptivas. Inúmeras vezes pessoas se aproximaram de mim e falaram "welcome", "thanks". Povo, na grande maioria, honesto. Ao contrário da imagem que se transmite na TV, a Síria é um país tranquilo. Eu não vi protestos, nem armas, nem sujeitos perigosos. Sinti-me bem seguro e acolhido. A cultura é bem interessante. Comidas bem gostosas. Um país com história antiquíssima. Berço da civilização, com os rios Tigre e Eufrates. Onde surgiu a escrita (cuneiforme). Muitos povos passaram por aqui. Terra de peregrinação. Um país muito, mas muito interessante. Barato. E com belas moças. São 75% muçulmanas, muitas das quais completamente cobertas. E as 25% cristãs, que se vestem semelhante às ocidentais. Fiquei encantado com o país.

Líbano foi uma surpresa também. O que chama mais atenção é a mistura cultural e religiosa. Cartazes enormes com moças de lingeries. Gente convivendo numa boa. Vi vários grupos de gente de religiões diferentes. Vive-se das aparências. Muitos carrões de luxo. Gente que gosta de esbanjar dinheiro. País moderno e ocidentalizado. Baladas, aparelhos eletrônicos e gente bem arrumada o tempo todo. Mulheres maravilhosas, de tirar o fôlego. E mais, flertam muito, descaradamente. Teve várias vezes que fiquei constrangido! Muita tensão e exército nas ruas. Os palestinos não são bem-vindos. Igualmente, sítios históricos riquíssimos. E a paisagem é exugerante. Tome cuidado em não transgredir nada. E fique atento com os conflitos. Eu evitei ao máximo qualquer tipo de exposição ao perigo.

Israel/Palestina. A terra prometida. Um lugar muito gostoso. Os israelenses amam seu país. Cada detalhe e lugar é valorizado. Fiquei com boa impressão. Muitos norte-americanos. Pessoas achando que lá é seguro. E, de fato, é. Bem mais do que no Brasil. Exército nas ruas. Lugares sagrados. Gente de todo mundo. Fiquei bem feliz de ter conhecido os lugares por onde Jesus andou. É uma emoção especial. O que me deu tristeza foi a situação dos palestinos. Estão sendo expulsos a olhos vistos. Muita injustiça. E, mais uma vez, a comunidade internacional fingindo que não está acontecendo nada. A paz, nessa região é um desejo de todos. O radicalismo é que estraga. Ou seja, a minoria comanda a maioria.

Jordânia. Caro. Muitas vezes, senti que queriam me passar pra trás. Pode-se confiar na polícia. E Petra é muito caro. Mas é lindo. E Wadi Rum vale a visita também.

Egito. Terra dos faraós. As ruínas são legais. O país vive do turismo. Isso significa: os turistas são obrigados a pegar certos roteiros, escolta policial e.. vendedores muito chatos. O tempo inteiro tentam arrancar teu dinheiro. Isso é muito chato. Logo que se acostuma, as coisas melhoram. As pirâmides são impressionantes. E o mar vermelho bem legal para mergulho.

O mundo árabe é bem legal. Gostei muito de ter conhecido. Comidas, pessoas, honestidade, simplicidade. Respeito muito o Islão de hoje em diante. Vi muitas pessoas vivendo de modo simples, com alegria no coração e temor a Deus. A minoria é radical, como em qualquer país. As pessoas que conheci eram muito receptivas. Foi muito legal tudo o que vivi. Não acreditem na TV! É muita mentira e distorção o que monstram desses países.

Eu fui com uma atitude respeitosa. Só vesti bermuda em 3 ocasiões: em Tel Aviv, durante o Jesus Trail e no deserto no Egito. Por respeito mesmo. E evitei flertes com as moças também. Aliás, as sírias e libanesas são muito lindas. Israelitas também. Mas fica o aviso: para quem quer viver "aventuras", que viaje pelo Brasil mesmo. Garanto: não há lugar melhor. E os gringos também confirmaram: vir ao Brasil é uma grande "aventura". Nos outros países é melhor ter certos cuidados. E digo: respeito. É melhor ser respeitador, para ser respeitado. Com essa atitude, me precavi de todos os perigos. E funcionou. Não bebi (aliás, não bebo mesmo), não fumei, não fiz menção de drogas, de nada que chamasse atenção. Nem pela roupa, nem pelo comportamento. Em alguns poucos momentos em que senti que ia me exceder, logo me controlei. E assim, me mantive em segurança total. A melhor defesa é a paz. Viver em paz. Estar em paz. E isso atraiu a paz para mim. Recomendo. A paz. Viajar em paz.





Um comentário:

Paquistanesa disse...

Turquia te amo, beijos.